Sobre a Página

Marcell e Rafaela

Não há como negar a influência da Reforma Protestante, ou o Protestantismo, neste século em que vivemos. Qualquer livro que aborde sobre a Baixa Idade Média e início da Idade Moderna possui a obrigatoriedade de apresentar esse recorte histórico que transformou o pensamento do homem ocidental.

No entanto, a Reforma Protestante é interpretada por diversas maneiras tendo como base a lente/a fé da pessoa que busca entendê-la.

Para os evangélicos, por exemplo, a Reforma Protestante foi um movimento religioso que buscava retornar a Igreja de Cristo para o Cristianismo primitivo, aquele Cristianismo puro e original pregado pelos Santos Apóstolos. Porém, tais conceitos tendem a ignorar os fatores políticos, econômicos e intelectuais que auxiliaram no progresso da Reforma.

Já para os católicos, a Reforma Protestante foi um movimento levantado pelo diabo com o propósito de dividir o Corpo de Cristo. Uma tentativa das portas do inferno de prevalecerem contra a Igreja. Porém, mais uma vez tais conceitos tendem cobrir os males praticados pela Igreja no decorrer da Era Medieval e dos inúmeros protestos surgidos contra tais corrupções não respondidos antes da Reforma Protestante acontecer.

Nos livros de História nas escolas, a Reforma Protestante foi apenas uma briga entre monges da Saxônia e um caso de amor do rei Henrique VIII na Inglaterra. Mas resumir a Reforma Protestante com coisas tão particulares assim chega a ser um insulto visto que muitas vidas foram ceifadas em prol da propagação do Evangelho do Senhor Jesus Cristo.

Portanto, apesar dessas inúmeras interpretações, é certo dizer que a Reforma Protestante não foi algo singular – entre quatro paredes de uma estrutura religiosa. Entre erros e acertos, ela contribuiu na construção de um saber mais democrático, nos direitos humanos, na economia, na educação, na política – tudo isso tendo como base as Sagradas Escrituras.

Meu nome é Marcell de Oliveira, sou tecnólogo em redes de computadores, licenciado em História e pós-graduado em Políticas Sociais, além de ser casado com uma linda professora de Educação Física, Rafaela Lemes. Iniciei este trabalho no dia 3 de agosto de 2008 e desde então não parei. Meu propósito é apresentar o Protestantismo em seu aspecto geral – teologia, política, historiografia, etc. Então eu não criei um canal luterano, nem calvinista, nem arminiano, muito menos anticatólico, mas sim um canal com conteúdos variados relacionados a Reforma Protestante e, principalmente, sobre a Palavra de Deus.

Seja bem vindo, querido leitor.

Deus o abençoe.

P.S.: Meus sinceros agradecimentos aos teólogos e historiadores Rafi Sevghenian, Luã França, Welker do Espírito Santo Miranda, Fernando Paixão, Prof. Wolfgang Teske, Wallace Douglas, Rilton Filho, Prof. Dr. André Sczawlinska Muceniecks e Pr. Ebron Geser Muller que auxiliam a enriquecer os conteúdos da página com excelentes artigos historiográficos e teológicos sobre a Reforma Protestante e sobre as Sagradas Escrituras. E também gostaria de agradecer especialmente à Hudson Lebourg que tem realizado palestras e entrevistas sobre o seu livro publicado pela Editora Reflexão intitulado Debates, Escritos e Reflexões Sobre a Palavra de Deus onde, por sua vez, foi um grande auxílio na divulgação dos trabalhos da página Protestantismo. E jamais irei esquecer de mencionar o colunista Fábio Jefferson que tem utilizado a Gestão de Turismo para realizar viagens pela Europa enviando registros de igrejas e lugares que foram importantes na história do Protestantismo. Deus abençoe a todos vocês.